Logística reversa: entenda como ciência tem reformulado o meio ambiente

Ciência apresenta diversas vantagens no processo de preservação ambiental 

Quando se pensa em proteger o meio ambiente, o cuidado no desperdício e 

o processo de reciclagem de produtos são fatores lembrados quase que 

imediatamente. Nesse contexto que envolve o meio ambiente e a proteção 

ambiental, surge o conceito de Lógica Reversa. 

Costumamos associar o conceito de Logística Reversa à questões práticas, 

de logística, ou seja, a produtos e instrumentos. Mas qual a relação entre a 

logística e o meio ambiente? O cuidado para que o procedimento de 

preservação ambiental passe por todas as etapas. 

Logística reversa – alternativa ao meio ambiente 

A logística reversa está presente no Brasil dentro da Política Nacional de 

Resíduos Sólidos (PNRS), Lei    nº 12.305,    de 2 de agosto    de 2010, e seu 

regulamento, Decreto     Nº 7.404     de 23 de     dezembro de 2010, a mesma 

responsável pelo descarte de lixo eletrônico. 

 Dentro do processo de preservação ambiental, a logística reversa surge 

dentro do conceito de responsabilidade compartilhada. Isso significa que toda 

a população é responsável pelo meio ambiente e, consequentemente, pelo 

ciclo de vida dos produtos e também para o que ocorre com eles a partir do 

processo de reciclagem. 

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente do Governo Federal, a 

logística reversa funciona como um “instrumento de desenvolvimento 

econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos 

e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos 

ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros 

ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada”, 

afirmam. 

Preservação ambiental e cuidado com o descarte de produtos 

É a partir do cuidado inicial com a coleta e também com o ciclo de vida dos 

produtos e dos materiais utilizados que a lógica reversa terá uma maior 

funcionalidade e contemplará a responsabilidade compartilhada que contribui 

de forma direta para o cuidado com o meio ambiente. 

Isso significa que o cuidado com a preservação ambiental inclui diversos 

setores, dentre eles: 

  • Serviços públicos de limpeza urbana; 
  • Distribuidores de produtos; 
  • Fabricantes e comerciantes de produtos; 
  • Manejo de resíduos sólidos, dentre outros. 

Além dessas atividades, todas as ações relacionadas ao cuidado e proteção 

do meio ambiente também podem ser enquadrados dentro da Logística 

Reversa. O plano de ação dentro da busca pela preservação ambiental, 

portanto, inclui diversas ações que serão ligadas diretamente ao 

desenvolvimento sustentável. 

O novo consumidor: a geração que busca o desenvolvimento 

sustentável e preservação do meio ambiente 

A crescente mudança no perfil do consumidor que, na nova geração, tem 

uma grande preocupação com o desenvolvimento do planeta sem grandes 

agressões ao meio ambiente são as energias potenciais da Logística 

Reversa, também denominada de Logística Verde. 

Isso ocorre porque nessa mudança do perfil do cliente, as empresas e 

instituições passam a adotar a Logística Reversa como uma alternativa ao 

meio ambiente e que também apresenta benefícios para o interesse 

empresarial, já que garante a fidelização com o cliente, preocupado com as 

soluções no meio ambiente. Isso inclui empresas, instituições, comerciantes, e todos os meios que realizam a comercialização do material.

Nesse ponto, a logística será empregada em tratar os produtos, 

embalagens e materiais em todos os pontos de preservação ambiental: do 

consumo até o produto final, também conhecido como local de origem, e que 

vai na contramão da logística convencional, preocupada apenas com a 

entrega do produto. 

Esse passo de extrema importância para o meio ambiente inclui a 

preocupação para que o conteúdo seja reutilizado, contribuindo para a 

diminuição de busca por mais recursos no meio ambiente e, em 

consequência, contribuindo para a preservação ambiental.

Como você normalmente descarta seus aparelhos eletrônicos?

Você tem dicas adicionais que contribua com a preservação ambiental?

Indique para um amigo. 

Sobre o autor! Paulino Andrade é o diretor de desenvolvimento de negócios da Cidadão ECO. Formado em logística atuou em várias multinacionais e desenvolve a logística reversa para equipamentos eletrônicos  desde 2008.

Deixe um comentário